Coprofagia: o que fazer?

Alguns cães adultos podem começar a comer fezes por puro tédio e solidão, como se fosse uma brincadeira que o distrai enquanto fica sozinho. Outros o fazem por instinto natural para evitar que os nutrientes eliminados não sejam desperdiçados.

Ver seu cãozinho comer o próprio cocô pode ser uma das coisas mais desesperadoras, mas, por mais que pareça algo anormal e extremamente nojento, esse hábito chega a ser normal no mundo canino.

Coprofagia vem do grego “kopros”, que significa “estrume”, e “fagos”, ingestão. Ou seja, é o nome dado ao hábito do pet comer cocô e, para eles, esse é um comportamento normal.

E essa mania nos deixa um pouco apreensivos pelo fato do cão se alimentar do próprio cocô e depois vir lamber nosso rosto, mãos, objetos… Então como evitar que ele continue fazendo isso? Veja a seguir algumas dicas:

Quais são as principais causas da coprofagia?

As causas são inúmeras. Alguns cães adultos podem começar a comer fezes por puro tédio e solidão, como se fosse uma brincadeira que o distrai enquanto fica sozinho. Outros o fazem por instinto natural para evitar que os nutrientes eliminados não sejam desperdiçados.

A origem também pode vir do tempo enquanto o cãozinho era filhote, quando sua mãe limpava o corpo todo do animal, lambendo inclusive o bumbum. Quando a mãe lhe é tirada muito cedo, o filhote fica sem essa limpeza e acaba fazendo sozinho, entrando em contato com o cheiro e o gosto da área.

Se o cão faz as necessidades pela casa, ele pode adquirir o hábito de comê-las por dois motivos: o primeiro é quando se passa um longo tempo até que o dono remova as fezes, deixando ele em contato com o cocô por muito tempo. O segundo motivo é causado pela observação, após defecar, o cachorro vê o dono retirar as fezes do chão, podendo começar a imitá-lo.

Como tratá-la?

Ao presenciar seu cachorro comendo o cocô, não o repreenda grosseiramente, pois a princípio ele não irá entender o que está acontecendo. Evite deixar que as fezes se acumulem, mesmo que elas estejam no quintal. Limpe e deixe o local onde ele defeca higienizado de qualquer resquício de cocô.

Observe o seu animal de estimação após ele realizar as necessidades. Preste bastante atenção e quando ele fizer o cocô, imediatamente limpe e dê a ele um petisco. Isso irá prevenir o hábito da coprofagia.

É importante fazer o mesmo fora de casa, para que o cão associe a atitude ao ato de defecar e não ao ambiente em que o faz. Se mesmo assim ele insistir em comer o cocô, você não precisa brigar nem bater no seu cãozinho. Basta um não bem firme para que ele entenda o recado.

Existem também outras maneiras de evitar a coprofagia, como o uso de comprimidos fornecidos ao animal e que deixam as fezes amargas e, também, sprays repelentes que podem ser usados quando o cão estiver longe, tornando pouco atrativas as fezes. Também tente cuidar para ele não ficar entediado e o alimente muito bem.

Acompanhamento profissional

Assim que notar que seu pet está com o hábito da coprofagia, consulte um veterinário. Ele irá verificar se existem causas físicas para esse costume. Pode ser que o cão esteja com vermes que roubam nutrientes, fazendo-o comer o próprio cocô. O veterinário também poderá indicar uma ração diferente para que seu cão, que adapte às necessidades dele de nutrientes.

A Clínica Veterinária da Vinci possui uma equipe altamente especializada para atender seu animal de estimação com todo carinho e segurança que ele merece. Agende um horário pelo telefone: (41) 3016-2606 ou whats (41) 996630331. Saiba mais aqui.

Traga seu pet para a Veterinária Da Vinci, Clínica Veterinária 24 horas em Curitiba.

Vacinas, banho e tosa, castração. Plantão 24 horas para emergências veterinárias, com cirurgia em cães e gatos e internamento para cães e gatos com acompanhamento.

Fone: (41) 3016-2606

Rua Tapajós, 260, Curitiba/PR

Temos Leva e Traz.


Se preferir, entre em contato conosco pelo formulário abaixo: